MasterMindHumanos versus máquinas: teremos no futuro competição ou colaboração? - MasterMind Campinas

16/04/20210

Que os robôs estão assumindo boa parte dos empregos humanos, é um fato inegável. É uma tendência global, caminhando em ritmo acelerado. A pergunta é: a que ponto isso contribui com a eliminação em larga escala da mão de obra humana? Ao que tudo indica, o futuro será de integração, e as inteligências artificial e humana irão coexistir de forma colaborativa.

Vale a pena entender melhor uma pesquisa realizada pelo Manpower Group sobre a Revolução das Competências, intitulado Procuram-se Humanos: os robôs precisam de você. O estudo, realizado com 19 mil empregadores de 44 país, revelou um dado importante sobre os empresários brasileiros: 81% planejam aumentar ou manter o número de funcionários como resultado da automação. Sim, as organizações que mais estão investindo em tecnologias digitais e utilizando robôs em seus processos, são também as que mais criam vagas de empregos com carteira assinada, ou seja, para humanos.

Mas não qualquer vaga de emprego. As empresas estão exigindo qualificações específicas, as chamadas habilidades do futuro, que além de complementarem o trabalho executado pelas máquinas, são competências essencialmente humanas, não substituídas pela inteligência artificial. Pelo menos por enquanto. Estamos falando de habilidades sociais e emocionais, como liderança, comunicação avançada, capacidade de negociação, empatia, engajamento e adaptabilidade.

Outro estudo realizado pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT) reforça que o futuro do trabalho está na integração entre humanos e máquinas, e não na competição entre eles. Isso porque tanto a capacidade de inovar, como a de tomar decisões complexas, são competências essencialmente humanas.

Por outro lado, é verdade que os robôs estão assumindo tarefas mecânicas e otimizando o trabalho em muitos setores: logística, limpeza, hospitalar, automotivo, entre outros. Milhões de robôs industriais estão operando em fábricas de todo o mundo. Grandes players do e-commerce, como o Amazon, têm sistemas conduzidos por robôs, que organizam os estoques em seus armazéns, separam, embalam e encaminham os pedidos. A japonesa Omron Automation criou um robô que ensina pessoas a jogar tênis de mesa, o Forpheus. Não é incrível?

No entanto, o que eles ainda não dispõem é de uma qualidade essencial para manter relações interpessoais como os humanos: inteligência emocional. Nesse sentido, a experiência mais bem-sucedida até hoje é a robô Sophia, criada em 2016 pela Hanson Robotics. Produzida com material que imita a pele humana, ela é capaz de reproduzir expressões faciais de raiva, tristeza, alegria e outros sentimentos. Conversa com naturalidade, interage, dá entrevistas na TV, sendo considerada a robô mais inteligente do mundo, capaz até de pintar um autorretrato que foi vendido por quase 4 milhões de reais.

Outra criação revolucionária é o cão robô Koda, da empresa americana de mesmo nome. Seu porte lembra o de um cachorro, ele interage com os donos por reconhecimento da voz, sendo capaz de reagir a emoções humanas, como tristeza e felicidade. É um robô social, que pode servir de companhia para as famílias, para idosos, ou até para deficientes visuais, como cão-guia.

Se a inteligência artificial conseguirá, um dia, realizar tarefas que necessitam de habilidades essencialmente humanas, não sabemos. O que se sabe, neste momento, é que os profissionais precisam cada vez mais de capacitação, qualificação e aperfeiçoamento, mas em habilidades específicas, que envolvem um alto nível de inteligência emocional.

Então, o segredo está revelado: ofereça o que os robôs AINDA não fazem.

Foque no aprendizado contínuo e avalie suas competências. Há talentos que você enxerga em si e gostaria de desenvolver? Você se sente confortável na função que executa, ou tem a sensação de que estaria produzindo mais e melhor em outra área ou cargo? A MasterMind Campinas tem programas específicos para quem deseja aprimorar habilidades de liderança, comunicação, criatividade e outras soft skills que o mercado requer. Solicite um atendimento personalizado e conheça nossos treinamentos comportamentais!

 

 

Referências:

https://www.ctrltech.com.br/noticia/robos-serao-colegas-dos-humanos-e-nao-rivais-diz-estudo-do-mit

https://exame.com/tecnologia/robo-sophia-que-imita-expressoes-faciais-comeca-a-ser-produzida-em-massa/

https://canaltech.com.br/arte/robo-sophia-pinta-autorretrato-e-vende-criptoarte-por-quase-r-4-milhoes-181430/

https://exame.com/inovacao/koda-cao-robo-e-capaz-de-reagir-a-emocoes-humanas-veja-video/

 

Eduardo Mendes é sócio do grupo Master Mind Brasil, especialista em Gestão Estratégica e Liderança pela University of California, San Diego – School of International Relations and Pacific Studies.